Há algum tempo atrás, meu colega do Desocultados, Wellington, que estava iniciando no caminho da magia, preocupado sobre como encaixaria tantas práticas em sua rotina acelerada, me fez uma pertinente pergunta, “Gustavo, quanto tempo por dia você dedica à magia?”

Quando me deparei com tal questionamento, rapidamente respondi que, naquele período em específico, devido a estar trabalhando com a jornada do tarô, estava dedicando nada mais nada menos que 24 horas por dia à prática mágica, obviamente, incluindo meu tempo de sono, já que trabalho com registro rotineiro de sonhos e impressões durante a madrugada.

Porém, minha natureza exageradamente analítica fez com que a pergunta permanecesse em minha mente por dias e mais dias, e, foi somente após muito tempo de reflexão sobre o questionamento que percebi que a resposta então dada não fora suficientemente satisfatória.

Não dedico 24 horas por dia à prática mágica somente porque estou fazendo a jornada do tarô, dedico 24 horas por dia à prática mágica independente de qual trabalho estou fazendo no momento, e deveria me manter assim pelo resto de minha vida. E você, praticante mágico, independente de ser iniciante ou experiente, também deveria começar a pensar nisso. Motivo pelo qual digo isso: a magia está estritamente relacionada com sua Verdadeira Vontade, seu objetivo nessa encarnação. Quanto tempo de sua vida você quer dedicar a seu maior objetivo aqui no planeta? 10 minutos por dia? Meia hora por dia? Sério?! Nenhuma resposta que seja menos que 24 horas por dia é aceitável!

Eu, particularmente, considero meu “trabalho mundano” parte de minha Verdadeira Vontade, seja porque é algo extremamente satisfatório para mim em diversos sentidos, seja porque é algo que indiretamente beneficia várias pessoas, me fazendo sentir útil aos demais. Portanto, o fato de acordar cedo todo dia para ir trabalhar, ficar 8 horas dentro de um escritório, lidar com situações difíceis, muitas vezes perder o sono por causa de problemas, e saber que isso vai se repetir incessantemente por quase 300 dias todo ano pelo resto da minha vida… é algo simplesmente prazeroso para mim. E deve ser. Se você não se sente assim em relação ao seu “trabalho mundano”, ou pelo menos não está fazendo nada a respeito para sair de uma situação desagradável que se encontra em relação a ele, então está na hora de começar a rever as decisões que tomou para chegar até o ponto em que se encontra na vida. Você não veio para essa encarnação para ter um trabalho de merda enquanto encontra 10 minutinhos todo dia para meditar sobre o resto da vida de merda que vai ter.

Nesse mesmo sentido, não precisa ter medo de fazer de novo aquele ritual importante que você fez um tempo atrás e acabou gerando um monte de complicações em sua vida depois. Você não percebe que a cada passo que você dá em direção ao aprimoramento de si mesmo as coisas parecem começar a desmoronar ao redor? Pois é assim mesmo que tem que ser. Se isso não estiver acontecendo, se suas práticas mágicas não estiverem impactando aspectos mundanos do seu dia a dia, você está fazendo magia errado!

O véu de maya está aí para fazer você achar que o seu trabalho horrível é mais importante que sua prática mágica porque “o trabalho dá dinheiro”. Porra, você fica tão louco a ponto de pensar que é mais importante manter pessoas tóxicas na sua vida do que fazer rituais que no fim das contas vão acabar tirando elas do seu caminho, porque você está “acostumado com as coisas como elas são”.

Quando eu desencarnar, eu quero olhar para tudo o que fiz aqui e pelo menos poder pensar: “eu fiz o mínimo para melhorar a mim mesmo”. O mínimo. Por isso, no meu trabalho eu não faço coisas pela metade, eu faço o máximo que eu posso, porque aquilo faz parte da minha Verdadeira Vontade. Por isso, nas minhas práticas mágicas, eu não vou fazer a versão “meia-boca” do ritual, porque aquilo faz parte da minha Verdadeira Vontade. Por isso, quando eu acordar de manhã, não importa quão ruim tenha sido minha noite e quão cansado eu esteja, eu vou anotar todas as merdas que aconteceram e todos os meus pesadelos horríveis no meu diário, porque estudar esses elementos vai me ajudar a entender quem eu verdadeiramente sou, e isso, obviamente, é parte da minha Verdadeira Vontade. 

Você quer ser a pessoa que fez a Verdadeira Vontade pela metade? A pessoa que preferiu o jeito “meia-boca” de realizar a Verdadeira Vontade? A pessoa que estava cansada demais para pensar na Verdadeira Vontade naquela noite mal dormida? A sua Verdadeira Vontade, repito, é seu objetivo nessa encarnação. Então, tenho certeza que sua resposta é “não”. 

Portanto, vamos reformular a pergunta, e deixar a reflexão: “Quanto tempo por dia você quer dedicar à sua vida?”